Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 14/06/2013 | 00h25

Iveco inaugura fábrica de veículos para defesa

Unidade em Sete Lagoas recebeu mais de R$ 100 milhões e pode montar até 200 unidades ao ano

MÁRIO CURCIO, AB | De Sete Lagoas (MG)

Como resultado de um investimento de mais de R$ 100 milhões entre a construção das instalações e desenvolvimento do projeto blindado Guarani, a Iveco inaugurou na quinta-feira, 13, sua unidade voltada à produção de veículos de defesa em Sete Lagoas (MG).

A capacidade pode chegar a 200 unidades ao ano. As instalações ficam em uma área de 30 mil metros quadrados, sendo 18 mil m² de área construída. “A empresa gera 350 empregos diretos e mais de 1,4 mil indiretos”, afirma o presidente da Fiat Industrial Latin America, Marco Mazzu. O programa de treinamento passou pela unidade italiana em Vittorio Veneto, na Itália.

A nova fábrica é a quinta unidade da Iveco especializada em produtos de defesa no mundo. Segundo o diretor de veículos especiais da Fiat Industrial Latin America, Paolo Del Noce, ela poderá receber parte dos R$ 15 bilhões anunciados pelo Grupo Fiat para o Brasil nos próximos anos. “Tudo dependerá das futuras encomendas”, garante Del Noce. Segundo a fabricante, Chile e Colômbia e Argentina demonstraram interesse pelo Guarani. Esta última estaria próxima de fechar um contrato para 14 unidades.

Em princípio, a fábrica fornecerá para a América do Sul. “Mas esta é a única unidade que produz o Guarani e nada impede que ele seja vendido a outros países, diz Del Noce. “A fábrica foi projetada para receber ampliações. A primeira pode ocorrer em três ou quatro anos para produção de um blindado 8x8”, afirma o executivo.

Segundo ele, a empresa também pode receber adaptações para a montagem do modelo LMV, um blindado multifuncional, que já teve 4 mil unidades produzidas no exterior. O veículo é adotado por países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e agradou ao Exército Brasileiro. Del Noce acredita que a unidade de veículos de defesa poderá responder por 15% do faturamento da Iveco no Brasil.

O DESENVOLVIMENTO DO GUARANI

O projeto do Guarani começou em 2007. A partir daquele ano foram desenvolvidos protótipos de pré-série. A fábrica de veículos de defesa foi erguida em 2012 e entregou 12 das 86 unidades encomendadas pelo Exército Brasileiro. A Iveco tem até o primeiro trimestre de 2014 para a conclusão do lote.

Nova
Em sentido horário: linha em Sete Lagoas poderá montar até 200 veículos militares por ano; o presidente da Fiat Industrial, Marco Mazzu, e o diretor de veículos especiais, Paolo Del Noce, inauguraram a unidade (fotos: Mário Curcio)

Segundo a fabricante, o índice de nacionalização do veículo é de 60%. O aço balístico empregado em sua construção vem de fora. A transmissão e os cubos de roda são outros itens importados. O Guarani tem tração nas seis rodas, câmbio automático e transporta 11 pessoas. O motor é um Iveco Cursor 9, de 383 cv de potência. Segundo a fabricante, enquanto a produção de um caminhão requer 100 horas, a do Guarani consome 2,5 mil horas.

O veículo militar tem 6,9 metros de comprimento, 2,7 m de largura e 2,3 m de altura, capacidade anfíbia e pode ser transportado dentro da aeronave KC 390. Do Guarani vão derivar versões para socorro e comunicações, por exemplo. O futuro blindado 8x8 também usará como base o Guarani.



Tags: Iveco, Guarani, veículo militar, Marco Mazzu, Fiat, Paolo Del Noce, Vittorio Veneto.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência