Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Caminhões continuam sem indício de melhora

Mercado | 06/12/2016 | 18h51

Caminhões continuam sem indício de melhora

Para Anfavea, alta de 10% nas vendas em novembro foi oscilação normal

MÁRIO CURCIO, AB

O mercado de caminhões permanece inconstante, sem indícios precisos de retomada das vendas. O mês de novembro teve 3,8 mil unidades licenciadas, registrando uma alta de 10,3% incapaz de animar os fabricantes do setor.

“O número de emplacamentos vem sendo baixo e qualquer quantidade extra causa uma variação porcentual elevada”, afirma Marco Saltini, vice-presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).



- Veja aqui os dados da Anfavea;
- Leia também: Confira os resultados da indústria até novembro;
-Confira outros dados e estatísticas na AB Inteligência

O melhor desempenho no mês foi dos pesados, com 1,1 mil licenciamentos e alta de 33,5%. No acumulado do ano o setor de caminhões registra 46,1 mil unidades lacradas, uma queda de 30,2% ante o mesmo período de 2015. “A média mensal este ano vem muito baixa, com apenas 4,2 mil caminhões”, diz Saltini. Ele recorda que alguns fabricantes esperam crescimento de 10% a 20% para o ano que vem, mas só acredita que isso ocorrerá se o governo realmente adotar as medidas de ajuste necessárias.

A produção em novembro alcançou 5,4 mil caminhões, anotando alta de 15,7% sobre outubro, mas o acumulado do ano revela 56,4 mil unidades e forte queda de 21,1% em relação aos mesmos 11 meses de 2015. O melhor desempenho ocorre para os semileves, com pouco mais de 2 mil unidades no ano e alta de 17,8% sobre igual período de 2015. Os pesados somam o maior volume no acumulado (19,7 mil caminhões) e também a menor queda, de 1,9%.

As exportações em novembro somaram 2,2 mil caminhões, alta de 33,6% sobre outubro. No acumulado do ano foram 19,1 mil unidades, com pequena queda de 4,3% ante 2015. “Acredito em crescimento das exportações no ano que vem, mas volto a lembrar que este é um segmento complexo, que envolve treinamento de mecânicos, peças de reposição disponíveis e rede de revendas”, afirma. Ele recorda que a indústria quer aumentar as exportações, mas não só como alternativa ao mercado interno.

VIDA DURA TAMBÉM PARA ÔNIBUS

Em novembro o setor de ônibus teve 610 licenciamentos e registrou pequena alta de 4,5% sobre outubro. No acumulado do ano o País emplacou apenas 10,5 mil unidades, registrando queda de 32,3%. “O momento que vivemos é delicado, o setor fechará o ano com cerca de 11 mil ônibus. É um número muito baixo”, recorda Saltini. O volume atual de vendas retrocedeu a 1986.

Licitações para o transporte de passageiros são aguardadas para 2017, mas os fabricantes aguardam as decisões dos prefeitos eleitos, que começam a discutir possíveis reajustes de tarifas: “É preciso saber como isso vai refletir na venda de ônibus”, recorda Saltini.

A produção em novembro teve 1,6 mil unidades e pequena queda de 3,5% ante outubro. No acumulado do ano, com 17,7 mil ônibus, a retração foi de 15,4%. As exportações continuam ajudando o setor, que embarcou de janeiro a novembro 8,8 mil unidades e anotou o maior crescimento de todos os segmentos, 34,6% sobre igual período de 2015. O maior volume exportado no ano foi de modelos urbanos, 5,5 mil unidades e alta de 62,1%.

Assista abaixo à cobertura da ABTV sobre o desempenho da indústria até novembro:



Tags: Anfavea, caminhões, ônibus, Marco Saltini.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência