Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Exportações têm queda de 33,2% até novembro, registra Anfavea

Indústria | 05/12/2019 | 18h51

Exportações têm queda de 33,2% até novembro, registra Anfavea

Índice é o mesmo para a queda do ano prevista pelas fabricantes

SUELI REIS, AB

As exportações de veículos atingiram no acumulado do ano até novembro queda de 33,2% com relação ao volume embarcado em mesmo período do ano passado, ao totalizar 399,1 mil unidades, entre leves e pesados, de acordo com balanço divulgado pela Anfavea na quinta-feira, 5. O índice de retração é exatamente o mesmo previsto pela entidade para a queda das exportações para este ano com relação a 2018 com 420 mil veículos embarcados.



- Faça aqui o download dos dados da Anfavea
- Veja outras estatísticas em AB Inteligência



O volume embarcado em novembro foi o segundo pior do ano, com 31,7 mil unidades vendidas para fora do Brasil, perdendo apenas para outubro, quando as exportações pararam em 30 mil. Segundo a Anfavea, a crise argentina continua sendo o fator principal para a forte retração das exportações. Segundo o presidente da Anfavea, Luis Carlos de Moraes, para lá, o País enviará apenas 420 mil unidades este ano, representando pouco mais de 50% do total exportado; em anos não muito distantes, a Argentina chegou a responder por 70% do total das exportações brasileiras.

Com isso, embora não adiante as projeções para 2020, Moraes indica que não vê um crescimento forte das exportações no curto prazo.

Além da Argentina, o executivo diz que outros mercados relevantes da América Latina têm sido tema de preocupações para a entidade, como Chile, Colômbia, Peru e Equador, não só pela oscilação da demanda nesses países, mas pelas ocorrências de crises internas, principalmente a mais recente do Chile, com manifestações nas ruas.

“Quando tem distúrbios dessa magnitude, isso inibe o consumo, as pessoas têm medo de sair na rua, e isso acaba afetando o PIB”, comenta o presidente da Anfavea. “Ainda não tem impacto [nas exportações], mas estamos olhando o tema com atenção”, conclui.



Contudo, se os conflitos continuarem, Moraes indica que isto poderá afetar os negócios de exportação de caminhões e ônibus. Por outro lado, diz que o Brasil continua o debate com o Peru visando um acordo comercial.

“É menor que a Argentina, mas também importante. Estamos tentando junto ao governo um acordo para tentar estimular e permitir a exportação de usados para o Paraguai, que é um grande consumidor desse produto”.

Segundo ele, o país vizinho consome algo em torno de 70 mil veículos usados por ano vindo de outros países.



Tags: Exportações, Anfavea, Argentina, Chile.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência