Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
ZF volta a contratar no Brasil e tenta superar gargalos
Fábrica em Sorocaba: recontratações para aumentar a produção de transmissões, eixos e componentes

Autopeças | 21/10/2020 | 21h00

ZF volta a contratar no Brasil e tenta superar gargalos

Recuperação mais rápida que a esperada provoca falta de insumos e atrasos no fornecimento

PEDRO KUTNEY, AB

A ZF começou o último trimestre de 2020 com um “bom problema a resolver”, segundo o presidente da empresa na América do Sul, Carlos Delich. Para dar conta de um inesperado e expressivo aumento dos pedidos de montadoras e mercado de reposição de autopeças, que mostram recuperação em velocidade acima do que era esperado, foi necessário reabrir as contratações para todas as fábricas no Brasil – principalmente nas plantas paulistas de Sorocaba, Limeira e São Bernardo do Campo. Este mês foi iniciado o processo para reintegrar 141 pessoas às linhas de produção, com preferência em recontratar parte dos demitidos em agosto, quando a ZF esperava por uma crise mais aprofundada e de lenta dissipação.


A empresa não revela quantas demissões foram efetuadas há cerca de dois meses, mas somente na fábrica de Sorocaba o sindicato local dos metalúrgicos noticiou o corte de 100 empregados em 5 de agosto. Delich pondera que, apesar do número expressivo de cortes, “demitimos a metade do que todas as projeções nos indicavam até o começo de 2021”, destaca.

Após os desastrosos resultados do segundo trimestre provocados pela pandemia, com paralisações das linhas de produção interrupção do faturamento, o executivo explica que em julho passado foi tomada a difícil decisão de reduzir o quadro de funcionários olhando para o que indicavam as previsões econômicas para o primeiro trimestre do próximo ano. Contudo, a recuperação veio antes, em ritmo muito superior ao esperado e a ZF precisou reabrir vagas.

“Depois de utilizar todos os instrumentos de redução de jornada e afastamento temporário, retomamos a produção em todas as plantas, mas precisamos cortar porque não havia indicação de uma recuperação tão rápida. Mas aconteceu e este mês abrimos contratações”, conta Carlos Delich.



INCERTEZAS E FALTA DE INSUMOS



De forma geral, a pandemia desorganizou a cadeia de suprimentos do setor automotivo. Primeiro, fechou fábricas e os estoques explodiram. Logo na sequência, as linhas de produção voltaram a operar em velocidade reduzida, a retomada do consumo ocorreu em velocidade superior à projetada e os estoques acabaram, gerando falta generalizada de insumos à produção. Com isso, a falta mão de obra não é o único gargalo no momento.

Delich confirma a falta de insumos: aço, plásticos “e até papelão para embalagens de peças [para o aftermarket], que estamos produzindo e não podemos faturar sem isso, recentemente precisamos importar papelão da Alemanha para poder atender os pedidos”, conta.

Para o executivo, esses gargalos devem ser resolvidos nos meses adiante, mas existe a incerteza preocupante colocada à frente de elevar a produção rapidamente agora, sem no entanto saber se o crescimento atual vai persistir ou se existe apenas um pico de consumo que ficou represado durante os meses mais restritivos da pandemia, com a quarentena decretada em várias cidades do País que reduziu a circulação de pessoas e o comércio.



Tags: ZF, autopeças, mercado, trabalho, insumos, fornecedores, cenário, pandemia, coronavírus, Covid-19.

Comentários

  • JoséIvanaldo de Lima

    Excelentenotícia, após um ano muito conturbado que tivemos no início do segundo trimestre com a Pandemia. Esperamos que essa demanda crescente seja continua para que tenhamos um 2021 com os volumes antes pandemia para que toda a cadeia seja beneficiada e principalmente o emprego. Parabéns a ZF!!!!

  • Otto

    Excelentenotícia! Que a retomada desta conceituada Empresa seja com muito sucesso!

  • Comomandar meu currículo

    Jatrabalhei na zf.a 15 anos atrás

  • DaviRodrigues da Silva

    Trabelheina ZF 26 anos direto, e 4 anos em períodos semestrais, coimo terceirizado. Jamais pensei na minha pessoa, mas sempre me dedicando à Empresa, pois com muita dedicação e empenho da minha parte, sai de lá como muito orgulho, de ter cumprido com o meu dever s responsabilidades. Quando fui admitido, em 16 de Janeiro de 1972 em São Caetano do Sul, a ZF tinha apenas 769 Funcionário. Pra se ter uma ideia, tenho até hoje oTelegrama da ZF do Brasil com o Titulo "ULTRAMARIN " me convidando ao um retorno de uma Entrevista que havia feito na semana anterior,para preencher uma vaga la existente. Tenho tem todos os Holerites, do primeiro ao último pagamento, inclusive a Homologação em 22/12/1997, que posteriormente fui convidado para compor o Quadro dos seus Colaboradores, como terceirizado. de 6 e 6 meses, senão e Empresa teria que me Readmitir novamente para compor o quadro dos seus Funcionários. Me aposentei em 23 de Dezembro de 1993,e só fui me desligar da Empresa em 22/12/1998, voltando posteriormente como terceirizado até Janeiro de 2003. Agradeço muito a ZF, pois o pouco que tenho, apesar de muito sacrifício e dedicação, foi nela que consegui

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência