Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Comerciais | 23/05/2013 | 18h06

Foton perto de anunciar local de fábrica no Brasil

Executivos da Beiqi Foton da China vieram ao País para definir funcionamento da operação brasileira

REDAÇÃO AB

A Foton Aumark do Brasil (FAB), importadora e representante da Beiqi Foton Motor Company da China, anunciará nas próximas semanas o local escolhido para abrigar a primeira fábrica de caminhões da companhia no País, após definir detalhes da operação com o vice-presidente mundial, Wang Xiangyin, e o diretor geral de operações internacionais da montadora chinesa, Fred Qian, que estiveram em São Paulo essa semana.

De acordo com o diretor comercial da Foton Aumark do Brasil, Ricardo Mendonça de Barros, as reuniões entre os executivos da China e o board da FAB resultaram em ações positivas para a empresa no País.

“A evolução de nosso projeto e a seriedade de nossos investimentos, aliados à excelente governança corporativa de nossa empresa, tem despertado o interesse da Beiqi Foton para que possamos dar-lhes suporte a projetos adicionais no País”, disse em comunicado.

Em dezembro passado, a Foton Aumark anunciou sua entrada na indústria nacional com a assinatura de um contrato com a Beiqi Foton que permite a construção de uma fábrica em solo brasileiro (leia aqui). Com isso, a Foton Aumark reforçou o processo de nomeação de concessionários e investidores para ampliação da rede (leia aqui).

FOTON NO BRASIL

Em 2011, a Foton Aumark havia confirmado sua intenção de construir uma fábrica no País com investimento estimado em US$ 500 milhões, cuja aplicação viria da matriz da Foton Group, na China, informou no mesmo ano o presidente da Foton Aumark no Brasil, Luiz Carlos Mendonça de Barros, durante a Fenatran (feira de veículos pesados em São Paulo).

Naquela ocasião, o executivo disse que a unidade brasileira seria responsável pela distribuição e pós-venda dos caminhões. Ele acrescentou que a companhia já havia pesquisado locais em Goiás e Pernambuco e que São Paulo também havia entrado na disputa pela fábrica.

Já em abril deste ano, a empresa cotou a possibilidade de levantar suas operações no Rio Grande do Sul, desta vez, as informações são mais completas: a planta deve ocupar uma área de 1,5 milhão de metros quadrados para abrigar um condomínio industrial com uma fábrica cuja capacidade de produção será de 20 mil unidades ano em um turno, revelou seu vice-presidente, Orlando Merluzzi (leia aqui).



Tags: Foton, Aumark, fábrica, caminhões, China.

Comentários

  • wainer

    DUVIDOOOOOOOO; já vi este mesmo filme com a Sinotruk (nuda-se os atores mas a peça é a mesma) o que o brasileiro precisa é parar de acreditar em conto de papai noel ou seja chines noel. aproveitando a oportunidade porque esta nobre redação não realiza uma reportagem de como esta a posição da Sinotruk no Brasil e de outras promessas chinesas de instalação de fabrica em nosso pais. atc.

  • Roberto

    Interessante a empresa ter um presidente economista (Luiz Carlos Mendonça de Barros) que usa calça Lee e camisa preta para fora da calça em uma recepção da diretoria da empresa chinesa. Talvez deseje passar uma imagem da austeridade brasileira ao Board chinês da empresa, mas o mais certo é que não tenha se familiarizado com a cultura dos chineses, embora, como apareça de braço dado com um dos dirigentes, ele está se esforçando para se enturmar com o comando chinês. O investimento chinês é muito pequeno para uma montadora de caminhões e o mínimo que se imagina para montagem de alguns poucos componentes nacionais em um monte de componentes chineses importados. Ela está procurando se globalizar crescendo fora da China, com montagem na Colômbia veículos comerciais leves, e fábrica na Índia. Ela tenciona também fabricar ônibus na Bahia.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now