Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Conjuntura | 24/01/2014 | 16h24

Produção industrial tem maior queda para dezembro desde 2010

Informação foi divulgada pela CNI. O índice que vai até 100 baixou para 40,2

AGÊNCIA BRASIL

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou na sexta-feira, 24, que o setor industrial registrou em dezembro último a maior queda de produção mensal desde 2010, para o mês desde 2010. Os números estão no boletim Sondagem Industrial e indicam que o índice caiu para 40,2 pontos. O indicador varia de zero a 100 e, quando fica abaixo de 50, evidencia queda nno nível de atividade e no número de empregados.

“É o menor da série história que começou em 2010. É comum essa queda em dezembro, mas dessa vez foi mais intensa”, disse Marcelo Azevedo, economista da CNI. O maior problema foi registrado nas grandes empresas, em que o índice chegou a 38,3 pontos. A CNI informou ainda que estas companhias foram as que mais demitiram. O índice de evolução do número de empregados caiu para 46,4 pontos no mês passado, acima dos 45,9 pontos registrados nas grandes indústrias.

A CNI indica também que, com produção menor, houve recuo da capacidade instalada em relação ao usual. O indicador caiu para 41,7 pontos em dezembro. Como ficou abaixo de 50 pontos, mostra que esteve abaixo do usual para o mês. Além disso, conforme critérios da CNI, quanto mais distante do referencial de 50 pontos, maior o desaquecimento da economia.

A média de utilização da capacidade instalada (UCI) da indústria recuou 4 pontos percentuais entre novembro e dezembro, para 70%. Nas grandes empresas, porém, a queda alcançou 5 pontos percentuais. A variação é maior do que os 2 pontos percentuais das pequenas empresas e dos 4 pontos percentuais das médias empresas.

“A boa notícia é que os estoques continuam ajustados em níveis aceitáveis. Em dezembro, logicamente, tivemos uma queda, mas a variação era esperada porque a indústria se prepara para atender a demanda do período”, disse Azevedo.

A CNI continua a reclamar do alto custo de insumos e matérias-primas, mas também enfatiza o peso da alta carga tributária. Esses fatores teriam influenciado a queda da produção industrial, na análise da entidade. “Isso é um sinal de alerta, porque as grandes indústrias compram das médias e pequenas. Essa retração pode criar um efeito, repassando para as demais empresas esse mau desempenho, o que vai dificultar, certamente, a recuperação do setor no primeiro trimestre”, avalia Renato Fonseca, gerente executivo de pesquisa e competitividade da CNI.

Segundo ele, desde 2000, a principal reclamação da indústria é a elevada tributação, mas agora existe ainda a questão da matéria-prima também. Renato Fonseca destaca que o setor tem problemas de demanda e de competição com produtos importados. “O principal problema da indústria continua sendo o de custos. Isso vem gerando um problema na lucratividade e de investimento, principalmente”, enfatizou.



Tags: produção, indústria, CNI, competitividade, carga tributária.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now