Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
VWCO: otimismo em ano de celebrações

Cenários 2021 | 28/04/2021 | 16h40

VWCO: otimismo em ano de celebrações

A Volkswagen Caminhões e Ônibus prevê crescimento das vendas internas e das exportações, além de acelerar seu caminhão elétrico

PAULO RICARDO BRAGA, AB

Sem tempo para ler? Que tal OUVIR esse texto? Clique no play!





“Vivemos um ano de muitas emoções no mercado de caminhões, com uma descoberta a cada dia”, constata Ricardo Alouche, vice-presidente de vendas, marketing e pós-vendas da Volkswagen Caminhões e Ônibus. Ele recorda que depois de quatro anos de crise, 2020 era visto como um ano de recuperação – mas chegou a Covid-19 com muita incerteza pela frente e a situação virou de cabeça para baixo. “Foi preciso mudar nossa maneira de trabalhar, cuidando de preservar nossos funcionários”, define.



- Faça aqui o download do relatório completo da pesquisa Cenários para a Indústria Automobilística



O volume de produção veio se recuperando, mas com desafios enormes a todo momento. A volta foi gradativa e o semestre passado trouxe seguidos desafios. Na hora de comprar insumos faltaram componentes eletrônicos, aço, borracha, plásticos. No caso do aço, houve uma demora na reativação dos alto-fornos e só agora o segmento recebe sinais de recuperação, com uma elevação de preços da ordem de 90% desde outubro.

A dificuldade em obter componentes eletrônicos não foi menor. Com a pandemia houve uma determinação dos fabricantes de atender a demanda de aparelhos para uso doméstico. Como resultado, muitas vezes é preciso interromper as linhas de montagem de caminhões por falta de chips.

“Hoje muitas vezes não temos disponibilidade de contêineres e não há facilidade para contratar carga aérea, porque os aviões estão transportando vacinas”, observa Alouche, afirmando que chegamos a uma complexidade logística absurda, implicando em perda de produção.



Um dos resultados, além da escassez, é o aumento dos preços, que dispararam, com o avanço do dólar. “É difícil fazer os repasses de custo”, afirma, esclarecendo que a indústria tem procurado segurar preços ao máximo.

APESAR DA INCERTEZA, OTIMISMO PARA O FUTURO



Apesar de toda dificuldade enfrentada, Alouche espera que 2021 seja melhor que 2020. “Estamos otimistas e compartilhamos com a Anfavea, a entidade das montadoras, as previsões de avanço para 135 mil unidades na produção de caminhões e ônibus este ano, um aumento de 23% em relação a 2020”, define, lembrando a expectativa de safras recordes e a demanda crescente por veículos na construção civil.

O vice-presidente da VWCO não esconde a satisfação com o impacto no mercado do lançamento do VW Meteor (modelos 28460 e 29520 6x4) e do Constellation 33460, que marca o ingresso da marca no segmento de extrapesados. “A apresentação dos dois produtos foi um grande sucesso”, garante, esclarecendo que a lista de encomendas do Meteor está na casa das 1,5 mil unidades, das quais 500 já foram entregues. Os investimentos previstos pela VWCO estão mantidos:

“O programa de R$ 1,5 bilhão entre 2021 e 2025 continua como se não houvesse pandemia”, afirma Alouche.



Anunciado no fim de 2020, o aporte é o maior dos 40 anos de história da VWCO. Os recursos são destinados à continuação do desenvolvimento de modelos elétricos e híbridos no Brasil, como o e-Delivery, que começa a ser produzido em série este ano, e o Volksbus e-Flex que deve entrar em testes; ao desenvolvimento do sistema de emissão Euro 6/Proconve P8; a novas melhorias na fábrica de Resende; e à renovação e lançamento de novas versões de modelos já em linha. O programa sucede o investimento anterior de R$ 1,5 bilhão de 2017 a 2020, do qual R$ 1 bilhão foi usado no desenvolvimento da família Meteor.

40 ANOS NO BRASIL



A VWCO comemora 40 anos de existência no mercado brasileiro, dos quais 25 anos se devem à consolidação do consórcio modular na fábrica de Resende (RJ). Segundo Alouche, pouco se falava em inovação no passado, no segmento de caminhões no País, mas a Volkswagen Caminhões começou com uma grande surpresa: o lançamento das cabines avançadas.

De lá para cá não foram poucos os momentos em que a marca surpreendeu o mercado, com a expansão da linha de produtos para atender diferentes nichos do mercado. Recentemente a empresa lançou o e-consórcio, para a produção de caminhões elétricos nos mesmos moldes do tradicional consórcio modular. Uma primeira encomenda de 1.600 caminhões elétricos pela Ambev estimula o programa de desenvolvimento dos veículos, dos quais uma centena já recebeu pedido firme.

“Após exaustivos testes o e-Delivery chegará ao mercado no segundo semestre, passando por um processo de avaliações robusto, que tem trazido resultados surpreendentes”, revela Alouche, lembrando que a estratégia repete a experiência histórica, bem-sucedida, de trabalhar intensamente junto aos clientes.



Para ele, o caminhão elétrico brasileiro fará história e já interessa a outros clientes além da Ambev. Apesar de ter preço inicial mais alto que os veículos convencionais, o e-Delivery promete custos operacionais bastante atrativos.

Alouche resume que os principais desafios da VWCO este ano são equilibrar o nível de produção com a participação de seus parceiros do consórcio modular e segurar os preços ao máximo. No momento a empresa trabalha em dois turnos (houve apenas um em 2020), para garantir a distância entre os funcionários, mas a decisão mostrou-se importante também para atender a pressão da demanda, ajudada pelas exportações.

Com o dólar forte as vendas externas de caminhões da marca estão batendo recordes, com uma estratégia bem estabelecida que inclui fábricas no México e África e operações em toda a América Latina e África, ao lado de prospecções nas Filipinas.



Tags: Cenários para a Indústria Automobilística, VWCO, Volkswagen Caminhões e Ônibus, setor automotivo, indústria automotiva, caminhão elétrico.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now