Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Com 50 Scania, TransMaroni tem a maior frota de caminhões a gás do Brasil

Transportes | 15/06/2021 | 12h48

Com 50 Scania, TransMaroni tem a maior frota de caminhões a gás do Brasil

Transportadora paulista adquiriu os primeiros veículos em 2020, que fazem parte de um ciclo de investimentos de R$ 50 milhões

REDAÇÃO AB

A TransMaroni está celebrando uma marca histórica: a transportadora baseada em São Paulo (SP) atingiu um total de 50 caminhões movidos a gás (natural e/ou biometano) da Scania, que é hoje a maior frota desse tipo de veículo no Brasil, de acordo com a empresa.

Fruto de um ciclo de investimentos de R$ 50 milhões, essa frota começou a ganhar forma em outubro de 2020, quando as primeiras 11 unidades chegaram, exatamente um ano depois de a Scania ter dado início às vendas dos seus caminhões a gás – a fabricante comercializou até agora 150 unidades.

Publicidade



“Este ciclo de R$ 50 milhões engloba nossas recentes ações em sustentabilidade, não apenas o valor dos caminhões e implementos. Estamos investindo em logística reversa, projetos de reciclagem, melhor aproveitamento de resíduos, treinamentos de colaboradores, dentre outros. Além disso, para compensar as emissões de nossos caminhões, temos uma parceria com a SOS Mata Atlântica, pela qual já plantamos 14 mil mudas em São Paulo”, explica Gustavo Maroni, diretor operacional da TransMaroni.

O projeto do caminhão da gás da Scania envolveu também uma parceria entre a fabricante e a Comgás (a maior distribuidora de gás natural do País) com o objetivo de acelerar o uso de GNV (Gás Natural Veicular) pelos veículos pesados no Brasil. A Comgás já disse que tem como meta em breve inserir biometano em sua rede de dutos, uma fonte energética com emissão quase zero de CO2, como já é feito há anos em países da Europa.

A grande vantagem do caminhão com essa tecnologia é a redução de emissões de CO2, que pode variar entre 50% e 90% em comparação aos caminhões a diesel quando abastecidos com biometano. Também são mais silenciosos, comprovando 20% menos ruído. Os veículos TransMaroni serão usados nos segmentos alimentício, varejo, higiene e limpeza, cosméticos e e-commerce em diversos Estados brasileiros. Parte deles já tem contratos com empresas como B2W, Carrefour, Grupo Big, JBS, L’Oréal, Nestlé e Unilever, que muitas vezes exigem que seus transportadores desenvolvam uma frota com veículos de entrega mais sustentáveis.

“No início das vendas deste pioneiro produto da Scania, eram os embarcadores que estavam orientando as empresas que transferem suas cargas a buscar esta solução alternativa ao diesel. Ou seja, as grandes marcas que têm a sustentabilidade como meta e reconhecem a importância de reduzir os impactos das atividades logísticas, contribuindo para as próprias metas relacionadas a ESG [Environmental, Social and Governance]”, conta Silvio Munhoz, diretor de vendas de soluções da Scania no Brasil.




Tags: Scania, TransMaroni, caminhões, gás, GNV, biogás, sustentabilidade, ESG, Gustavo Maroni, Silvio Munhoz.

Comentários

  • Milton

    Muitobom. Quando tem idéias boa tem .????????????????

  • RodineiDaniel Vieira

    ParabénstransMaroni isso sim e pensar e agir no futuro, esperamos que também faça investimento em valorização de capital humano, pois várias concorrentes só investem em maquinário e esquece que existe um pai de família ali atrás do volante lidando todo dia com amor no que faz, pois ninguém vira motorista de caminhão se nasce motorista, deve-se valorizar a mão de obra qualificada, valorizar o MOTORISTA CAMINHONEIRO, pois nós precisamos da MARONI e a MARONI precisa de nós, PARABÉNS MARONI POR MAIS UMA CONQUISTA

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now