Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Fiat amplia liderança em julho; Toyota é a vice-líder no mês
Fiat Argo: o mais vendido em julho

Mercado | 02/08/2021 | 18h15

Fiat amplia liderança em julho; Toyota é a vice-líder no mês

Falta de semicondutores afeta desempenho e muda cenário de vendas de marcas e modelos

PEDRO KUTNEY, AB (COM DADOS DA AUTOINFORME)

A falta de semicondutores que afeta pelo menos 14 fábricas no País e provoca perdas de produção de mais de 220 mil unidades provocou retração das vendas de veículos leves em julho e segue causando muitas modificações no ranking de marcas e modelos mais vendidos do mercado. Segundo números antecipados pela Autoinforme, quem conseguiu manter a produção ativa, mesmo que em ritmo mais baixo, ganhou importantes posições, enquanto as que precisaram paralisar plantas seguem ladeira abaixo.

Em julho a Fiat ampliou ainda mais sua liderança que já vinha crescendo desde o fim de 2020. Com 43,7 mil emplacamento no mês, a marca vendeu mais que o dobro da segunda colocada e dominou quase 27% do mercado mensal, colocando três carros (Argo, Strada e Mobi) nas três primeiras posições do ranking de modelos mais vendidos, além de ter a Toro em quinto.

Menos afetada pela falta de semicondutores e sem parar de produzir, a Toyota fechou o mês na vice-liderança do mercado pela primeira vez em sua história de mais de 60 anos no Brasil. Graças ao bom desempenho do SUV Corolla Cross que começou a ser vendido em abril passado e em julho foi oitavo veículos mais vendido do País, a marca japonesa totalizou 18,6 mil emplacamentos e abocanhou participação mensal nas vendas de 11,5%. A picape Hilux produzida na Argentina – e também não afetada até agora pela escassez de eletrônicos – ficou na décima posição do ranking de modelos, enquanto o sedã Corolla ficou apenas em 16º.

Mais prejudicada pela falta de insumos e com fábricas paradas, a Volkswagen desceu à terceira posição do ranking, com 17,7 mil emplacamentos e participação de 10,9%. Seus dois modelos com melhor desempenho foram Nivus e Polo, ambos produzidos em São Bernardo do Campo (SP), que foram respectivamente 13º e 14º mais vendidos em julho. O Gol produzido em Taubaté (SP), que vinha sempre figurando entre os dez mais emplacados, caiu para a 25ª colocação.

Apesar das diversas paralisações da fábrica de Piracicaba (SP) durante o mês passado, a Hyundai conseguiu manter uma quarta posição em julho, com 15,1 mil emplacamentos e 9,3% de participação. O HB20 foi o quarto carro mais vendido e o Creta ficou em 11º.

Assim como a Fiat, sua companheira de Grupo Stellantis no País, a Jeep segue colecionando resultados recordes. A marca colocou os seus dois modelos produzidos em Goiana (PE), Renegade e Compass, respectivamente na sexta e sétima posições do ranking de veículos leves, garantindo assim a quinta colocação à Jeep na lista das marcas mais emplacadas em julho, com 13,5 mil unidades vendidas, o que equivale a participação de 8,3% no mês.

Com suas duas principais fábricas, Gravataí (RS) e São Caetano do Sul (SP), completamente paralisadas, a General Motors ainda se segura na sétima colocação do ranking de marcas, com 9,4 mil emplacamentos em julho e participação de 5,8%. Seu veículo mais vendido no mês foi a picape média Chevrolet S10, fabricada em São José dos Campos (SP), sua única planta que está voltando a funcionar com volumes mais próximos da normalidade.





Tags: Mercado, vendas, ranking, marcas, modelos, julho 2021, resultado, balanço, veículos leves, semicondutores, Fiat, Stellantis, Toyota, GM, Volkswagen, oronavírus, pandemia, Covid-19.

Comentários

  • SergioGuerriero

    Bomdia! Na tabela dos modelos mais vendidos não aparece a Ford Ranger, é isso mesmo ?

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now